| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Valter Bitencourt Júnior
Desde: 11/03/2014      Publicadas: 71      Atualização: 08/12/2016

Capa |  Biblioteca Pede Ajuda  |  Curso de Fitoterapia  |  Discurso  |  Greve Geral  |  Literatura  |  Máquina  |  Mundo poético  |  Notícia  |  Poesia  |  Poesia  |  Pronto para a vida  |  Resenha  |  Valter Bitencourt Júnior  |  Valter Bitencourt Júnior 1


 Discurso

  26/04/2014
  0 comentário(s)


Discurso - "Valter Bitencourt Júnior, consagrando-se membro da Academia Teófilo Otoni"

Eu, Valter Bitencourt Júnior, só tenho a agradecer, por poder fazer parte da Academia Teófilo Otoni, pois juventude aprenda a explorar o melhor que se é oferecido, para a vida, e desfrute na melhor forma possível, brigue pelos os direitos, e sempre busque, o jovem por sua vez tem que aprender a ser protagonista. Cada ser tem um destino, e o meu destino são as palavras, assim como o meu trabalho, no qual busco a desenvolver, na melhor forma possível, para que no meu futuro fique a minha história, e que a minha história de vida não seja uma história qualquer, que também tenha os seus segredos, e mistérios.

Discurso -
Eu, Valter Bitencourt Júnior, só tenho a agradecer, por poder fazer parte da Academia Teófilo Otoni, pois juventude aprenda a explorar o melhor que se é oferecido, para a vida, e desfrute na melhor forma possível, brigue pelos os direitos, e sempre busque, o jovem por sua vez tem que aprender a ser protagonista. Cada ser tem um destino, e o meu destino são as palavras, assim como o meu trabalho, no qual busco a desenvolver, na melhor forma possível, para que no meu futuro fique a minha história, e que a minha história de vida não seja uma história qualquer, que também tenha os seus segredos, e mistérios.

Fazer parte de uma Academia, pode ser tanto fundamental quanto não pode ser também, simplesmente estou a experimentar, o que a vida tem para oferecer-me, seja cedo ou não. Uma vez que se nasce poeta, morre poeta, mesmo sem escrever, e tem aqueles que se tornaram poetas, pois tem por sorte, de poder também desenvolver-se na escrita, e também a ganhar a admiração pelas palavras (no qual escreve). Agradeço a Madrinha Varenka de Fátima Araújo, (cearense, que reside na Bahia, e é por sua vez considerada baiana de coração), no qual tenho a honra de receber das mãos dela o certificado e a medalha, que me consagra membro da Academia Teófilo Otoni.

Agradeço a Deus (que se ele me ouvi em algum lugar, mesmo que muitas das vezes sinta-me distante, que me abençoe, pois minha vida também não é tão fácil o quanto parece ser). Tenho por necessidade do carinho de cada um, principalmente daqueles próximo de mim, não por fazer parte de uma Academia, mas por consideração, no qual respeito muito, que sejamos todos irmãos e irmãs, (o nosso mundo precisa de amor, as nossas crianças, e jovens precisam de amor).

Entrando na Academia Otoni, quero passar a diante a minha visão política e social quanto poeta e escritor,
quero ir além de minhas escritas, quero transmitir o melhor que tenho de mim para os queridos leitores, de toda a parte do mundo. Quero contribuir o máximo de mim para o mundo, não quero guardar nada, quero ser mais humilde para com os meus semelhantes, quero poder um dia abraçar cada um sem nem um preceito, assim como beijar cada um, como irmão(ã). Acredito na solidariedade humana, e para que isso de fato venha a valer a pena, que não usurpamos uns dos outros, que tenhamos coração para sentir, e que tenhamos uns com os outros a piedade e misericórdia.

Esse é um dia muito especial da minha vida, e sei que vou ter muitos outros pela frente assim como gostaria que seja muito especial para todos os amigos(as), que venhamos a brindar esse dia, pois o meu sucesso também pertence aos meus queridos amigos(as), e leitores de meu trabalho, assim como a minha família. Eu amo muito os meus pais, os meus irmãos, e eles são parte de mim, no qual jamais poderei esquecê-los, ou deixá-los de lado. Tenho meus padrinhos de batismo Nega e Hino, agora ganho uma madrinha muito especial, que é Varenka de Fátima Araújo, que sempre acreditou, e ainda acredita na minha potencialidade.

Agradeço a Sandra Zaira, por sempre também acreditar em mim, que corrigia os poemas, e me dava dicas, e sempre pedia para que lapidasse as minhas escritas, assim como agradeço a Iraney Garcia Gonçalves, no qual ajudou-me a pagar o transporte, para que pudesse fazer um curso de poesia, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia. Agradeço ao Projeto Patrulhando a Cidadania (em geral), pois foi neste projeto, que passei a ter uma visão de quanto a vida nem sempre é justa, e o quanto temos que lutar e batalharmos.
Como um jovem, entrando na fase adulta, eu deixo a minha contribuição, e pedido, para que cada jovem sempre siga os conselhos dos pais, para que sempre busque o melhor, e desenvolva-se em conjunto. A literatura, também tem o seu papel social, e é muito fundamental para a nossa sociedade, e tenho por interesse ainda, de dar grandes contribuições.

Quando completei mais ou menos 15, 16 anos busquei em meu bairro a biblioteca mais próxima para que pudesse ler livros de poetas e escritores, então passei a frequentar a Biblioteca Comunitária de Valéria Professor José Oiticica, biblioteca essa no qual vim a aprender muito conversando com o cearense Antônio Fernandes Mendes, e conhecendo através da biblioteca muitos outros amigos(as), como por exemplo Zé Antonio, Carlos Baqueiro, Austílio (da UFBA), dentre outras pessoas.

Com a ajuda da Irmã Jacira, pude redigi os meus poemas no Centro Educacional Paulo VI, e armazená-los em meu primeiro pendrive, que foi me dado pela Irmã Jacira, este pendrive marca a minha vida literária, e faz parte de minha história.

Enquanto vivo, batalharei por essa conquista e muitas outras que ainda estão por vim, pois tudo é válido, desde quando aproveitemos o máximo possível, que todos os membros, da Academia Otoni sintam-se orgulhosos, pois nesta academia está a entrar um jovem poeta e escritor apaixonado pelas palavras.

Família:

Agradeço especialmente a minha mãe Maria Lúcia da Silva, e o meu pai Valter Bitencourt, pois sem eles não seria nada, seria ingrato se não agradecesse aos meus pais, por tudo que eles fizeram e ainda fazem por mim, lembro-me quando fui registrar alguns de meus, pormas pela primeira vez, com a minha mãe, e ela ao meu lado, ajudando com os papeis no qual tinha que por sua vez também assinar por eu ser menor de idade. Gosto de todos os meus irmãos (Vagnei da Silva Bitencourt, Leandro da Silva dos Santos, Lucielle da Silva Bitencourt), apesar de discutirmos muitas das vezes, nos amamos, gostamos uns dos outros, mesmo com pequenas intrigas de irmãos, meus irmãos são tudo também para mim, gosto de todos, mesmo que diga que não (estou mentindo), pois gosto e muito.

Agradeço ao meu tio Avelino, pois ele buscava sempre uma forma de me trazer uma revista que distribuía no trabalho dele para que eu lesse, pois foi um incentivo também de leitura, e meu tio Avelino e Edileusa, pediu-me uma poesia, poesia essa que o tenho feito com muito carinho, assim como tenho feito para os meus padrinhos (Nega e Hino), meus padrinhos de batismo "é um máximo", gosto muito deles.

Tenho grandes primos, no qual tenho uma grande admiração e respeito, Danúbio e Júnior Silva, com Júnior (meu chara) conversamos muito pela rede social (facebook), filosofamos trocamos ideias sobre vários assuntos, voltado ao nosso cotidiano, assim como assuntos históricos e sociais, falamos sobre Sócrates, sobre a leitura do livro "Mil e uma noite", "Dom Casmurro" (Machado de Assis), sobre a palavra "Nosce-ti ipisum", palavra latina que significa "conhece-te a ti mesmo", dentre outros. Gosto de toda a minha família, porque é parte de mim, e sempre ficará em minha memória.


Como será a minha vida após entrar em uma Academia literária:

Minha vida será a mesma, ela pode mudar com o tempo, somente o tempo pode ser responsável pelas nossas mudanças, tanto para melhor quanto para o pior, e escolho o melhor, o lado positivo da vida. Não deixarei de ser a mesma pessoa de sempre, com os meus demais amigos(as), a vida literária é uma vida difícil, sobreviver de literatura é um sonho, em que todos os poetas e poetisas, assim como escritores(as), sonham. Quero unir-me a todos os poetas, quero ganhar a amizade com cada um, assim como a escritores, professores, alunos, palestrantes, em geral, amigos próximos mais ainda, quero ter compromisso com a escrita, com a arte, com a cultura em que vivemos, quero colocar as minhas ideias, quero também ouvi, quero falar, quero fazer o máximo para também interagir.

Tenho dado aula no Projeto Patrulhando a Cidadania, por dois anos e meio, assim como também já fui aluno, venho adquirindo experiencia, em meu primeiro emprego, como um "Aprendiz legal", sei que para me manter na literatura tenho que ter também um emprego, assim como investidores, que invistam em meu trabalho, empresários, etc.

Venho a lutar muito, e continuarei lutando, pois sei que ainda tenho um caminho longo a seguir, mesmo entrando numa Academia, bem conhecida, e prestigiada, que é a Academia Teófilo Otoni. Quero ter uma boa relação com todos, conversar, discutir, e até mesmo "brincar", como um poeta, um ser humano normal, criativo, e inteligente (inteligente porque é o que todos nós somos, seres inteligentes, capacitado de sempre está aprendendo, e desvendando mais e mais, e ganhando sempre conhecimento).

Já sou muito conhecido pelas redes sociais, pelos sites, blogs, etc. E sei que ainda continuarei sendo, sou uma figura pública, e já tenho me conformado com isso, pertenço as pessoas, gosto muito de mim, gosto muito de todas as pessoas, principalmente de quem gosta de mim.

Minha visão anarquista:

Que Todos fiquem cientes que busco, como um ser cidadão, o melhor para a nossa sociedade, e sei que somente a nossa sociedade pode fazer as devidas melhorias, que não haja descriminação devido a eu ser anarquista, a sociedade em si é anarquista, ninguém concorda com a realidade de vida em que vivemos, a sociedade não gosta do governo, e todos sabem disso. Todos nós temos as nossas ideias, e cada um de nós buscamos defender as nossas, mas necessitamos sempre dialogarmos uns com os outros, para que de alguma maneira nos entendamos.

Anarquista pelas nossas condições de vida, por saber que não necessitamos do governo para que possamos nos desenvolver, anarquista por acreditar em uma sociedade melhor a partir dela mesmo, anarquista em nome da liberdade de expressão, em nome da autogestão, ensinamento mútuo, ação direta.

A literatura também tem uma grande força social, a literatura muda com o tempo, a literatura caminha junto a sociedade, o poeta, a poetisa, assim como os escritores(as), são intelectuais, políticos, capazes de através das palavras fazerem uma revolução, através das escritas levarem para o povo a consciência. Não políticos partidários, e sim de ideias, e ações, organização, base, de estrutura...

Por fim:

Como dito antes, agradeço a Academia Otoni (A todos(as) em geral), por poder fazer parte dela, e darei orgulho para a Academia, e levarei o nome da Academia para todos os cantos que eu for, em minhas novas publicações que envolve a literatura em si, abraços a todos, grato, e saudações!


  Mais notícias da seção Discurso no caderno Discurso



Capa |  Biblioteca Pede Ajuda  |  Curso de Fitoterapia  |  Discurso  |  Greve Geral  |  Literatura  |  Máquina  |  Mundo poético  |  Notícia  |  Poesia  |  Poesia  |  Pronto para a vida  |  Resenha  |  Valter Bitencourt Júnior  |  Valter Bitencourt Júnior 1